segunda-feira, 18 de abril de 2011

Como Bem Administrar uma Igreja

LEMBRE-SE: Tudo é para a Glória do Senhor, por isso, Dê o MELHOR para Ele]) !

1 Comentário



Entendemos que a administração é um dom de Deus, e enxergamos que esse dom está entre aqueles que são indispensáveis para o bom funcionamento de qualquer equipe de ministério e principalmente de toda uma igreja. O ministério de todo pastor será muito mais frutífero e bem sucedido se ele puder dedicar-se integralmente à liderança em lugar da administração. Por isso, necessitamos que na equipe pastoral tenha uma pessoa (ou mais) com esse dom, que possa tirar toda sobrecarga do pastor no que diz respeito às responsabilidades administrativas. Essa pessoa por sua vez deverá ter uma equipe competente que trabalhará no sentido de oferecer toda infra-estrutura de que a Rede Pastoral e Ministerial precisará para seu bom funcionamento e desempenho.

Diferença entre liderar e administrar:
Liderar Administrar
 
1. Dar direção 1. Dar estrutura
2. Mostra o caminho 2. Mostra processos
3. Motiva, inspira os liderados 3. Organiza as pessoas
4. Cria a visão 4. Desenvolve a visão (ação)
5. Tem a voz de comando 5. Facilita a comunicação
A. O que é Administração
“Administrar é arte de coordenar com eficiência, pessoas, processos, recursos e o tempo, com um propósito específico”.

B) Oito expressões Administrativas na vida de uma Igreja
Conhecer essas expressões administrativas ajuda a perceber o quanto que essa atividade é importante na vida de uma igreja.

1. Planejamento Estratégico: Igrejas bem administradas sabem para onde estão indo. Elas possuem uma declaração de visão e missão, tem estratégias e valores centrais claramente definidos, um cronograma que norteia suas atividades com objetivos e alvos a curto, médio e longo prazo, e um organograma que permite a todos visualizarem como a igreja está estruturada dentro da visão.
Uma visão sem plano (que inclua metas mensuráveis) é simplesmente um sonho. Dificilmente se realizará.

2. Liderança Descentralizada: Igrejas bem administradas investem tempo e recurso no treinamento de liderança e formação de equipes, para que os diversos serviços (ministérios) sejam realizados de forma eficiente, sem haver sobrecarga para uma minoria e principalmente para o pastor. As principais decisões são tomadas de forma interdependente com a participação das pessoas que precisam estar envolvidas, mas sem anular a direção e principal voz de comando.

3. Secretário (a) com dom administrativo e secretaria: Igrejas bem administradas valorizam um (a) bom (a) secretário (a), de preferência que seja voltado (a) para tarefas e estruturada, com iniciativa e habilidades específicas da função. A secretaria deve ter um espaço físico adequado reservado para fixar alguns móveis ou equipamentos indispensáveis a tarefa a ser realizada (mesas, arquivos, computadores, etc). Arquivo merece um destaque, pois aqui estarão guardados os documentos da instituição e que se forem extraviados podem causar sérios problemas ao Pastor que responde judicialmente pela igreja.

4. Formação de Administradores: Igrejas bem administradas tem a preocupação de descobrir pessoas com o dom de administração, para serem capacitadas e distribuídas nas mais diferentes equipes de ministério da igreja. Toda equipe para funcionar bem precisa ter pessoas com os seguintes dons: Liderança, Administração e Intercessão

5. Prestação de relatórios: Igrejas bem administradas desenvolvem uma cultura de prestação de contas através de relatórios simples e fáceis de serem preenchidos. Esse pequeno instrumento tem o poder de oferecer informações precisas que ajudam no diagnóstico dos pontos fortes e fracos da Rede Pastoral e Ministerial de uma igreja, bem com da própria rede administrativa. Isso permite que a cada três ou quatro meses, seja apresentado um relatório geral através de gráficos que mostrarão a saúde da igreja. Alguns modelos de relatórios incluem:
a) Relatório pastoral
b) Relatório dos grupos familiares, grupos de discipulado, grupos de apoio.
c) Relatório financeiro
d) Relatório das equipes de ministérios

6. Orçamento Financeiro: Igrejas bem administradas trabalham dentro de um orçamento financeiro anual. Sua receita não é gasta de forma improvisada, momentânea e irresponsável. O orçamento financeiro permite que todas as estratégias tenham os recursos necessários para serem aplicados durante o ano. Implantar Grupos Familiares, Restauração e outras estratégias em sua igreja e não separar recursos no orçamento para subsidiar o desenvolvimento do processo durante o ano é praticamente assinar o atestado de óbito dessas estruturas. O orçamento da igreja precisa refletir a visão e valores que foram abraçados.

7. Agenda Anual: Igreja bem administrada tem uma vida simples que não induz os membros da a inverterem as prioridades divinas. Suas atividades refletem a visão e missão, são organizadas dentro das estratégias e seguindo o critério de priorizar conforme sejam indispensáveis, importantes e opcionais. A agenda, tanto da Rede Pastoral como Ministerial, são trabalhadas com base nesses pressupostos e principalmente de forma interdependente. Portanto, algumas das perguntas chaves feitas nessa igreja são?
a) O que essa atividade tem haver com nossa visão e missão?
b) Essa atividade já estava prevista dentro dos objetivos do Planejamento Estratégico?
c) Como essa atividade poderia ser classificado para nosso momento: Indispensável, Importante ou Opcional?
d) Ela tem como entrar na coordenação sem trazer sobrecarga e inversão de valores?

8. Reuniões Facilitadoras: Igrejas bem administradas ensina sua liderança para fazerem reuniões objetivas, bem elaboradas com princípios, técnicas e dinâmicas facilitadoras, e acima de tudo com orientação e unção divina, onde as pessoas sentem prazer em participar e podem testemunhar a presença do Espírito de Deus.

9. Contabilidade: É impossível obter boa e legal administração sem uma contadoria bem elaborada. É imprescindível que o contador mantenha os documentos contábeis atualizados e devidamente atualizados; apresente o Q.D.F. (Quadro Demonstrativo Financeiro) mensal e anualmente para ser publicado no Diário Oficial, ao final de cada ano faça a Declaração do Imposto de Renda e seja responsável pela atualização do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

C. Resultados de uma Administração Eficiente
1. Gera ECONOMIA: Igrejas, famílias, equipes, ministérios, que não atentam ou valorizam para as boas normas de administração, pecam pelo desperdício. Administrar bem é um exercício da mordomia cristã que nos ensina não sermos donos de nada, mas mordomos da dispensa do Senhor Jesus.
2. Gera ORGANIZAÇÃO: Administração e organização são palavras que caminham juntas. Você conhece uma igreja bem administrada quando existe ordem, organização em todas as áreas. Essa organização geral pode ser resumida nas seguintes palavras: a) Pessoas b) Tempo c) Recursos d) Processos.
3. Gera REALIZAÇÃO: Isso é uma conseqüência lógica e inevitável. Igreja bem administrada produz mais tendo a quantidade associada com a qualidade. Essa realização tem um efeito motivador que leva o pastor, líderes e toda a igreja a trabalharem com alegria por causa dos frutos visíveis que estão sendo colhidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário